Mãe Sylvia de Oxalá
*15/07/1938 †08/08/2014

maeSylvia_pg2

Paulista nascida no bairro da liberdade, uma pessoa de fibra, concentrada, estudiosa e trabalhadora, com formação acadêmica multidisciplinar: enfermagem, administração, relações internacionais, empresária de sucesso, mas nascida, preparada e destinada a ser Ialorixá do Axé Ilê Obá e substituir Pai Caio de Xangô, na importante tarefa de preservar e ensinar o modo de vida, a valorização e desestigmatização da religião da orixalidade – o Candomblé.

De fevereiro de 1986 a agosto de 2014 Mãe Sylvia de Oxalá esteve no comando deste importante espaço religioso, consagrado e reconhecido como 1º espaço de Candomblé tombado pelo Condephaat como patrimônio Histórico e  cultural – Espaço de preservação das tradições ligadas à Orixalidade, como resultado do esforço desta importante lider religiosa.

Foram 32 anos de dedicação total ao Axé Ilê Obá sempre pronta a resgatar as tradições da raça negra e fortalecer os territórios negros de forma a romper com todo e qualquer tipo de preconceito e intolerância. Ressaltou a importância da sociabilidade do terreiro e a manutenção da identidade negra na cidade de São Paulo.

Mãe Sylvia de Oxalá foi uma importante liderança religiosa, cultural e política. Sempre muito atuante junto a comunidade e preocupada em difundir os trabalhos desenvolvidos através de participação em palestras, conferências e congressos com foco no trabalho de Durban (tratado concebido em Congresso, 2001, na África do Sul), no compromisso em prevenir, combater e erradicar o racismo, a discriminação racial, a xenofobia e a intolerância.

Idealizadora e fundadora do “Acervo da Memória e do Viver Afro Brasileiro Caio Egydio de Souza Aranha”, importante território conquistado para preservar e divulgar a cultura afro-brasileira, respeitando suas características ligadas à oralidade, o respeito a ancestralidade e a comunidade que deve se apropriar do conhecimento e compartilhá-lo para crescer e cada vez mais se reconhecer e fortalecer. Espaço este que requer luta constante para a sua autonomia e cumprimento de seu destino.

Os trabalhos de Mãe Sylvia de Oxalá em defesa das tradições e atuação em obras sociais junto à comunidade  renderam inúmeras homenagens e prêmios, no Brasil e exterior:
♦ Prêmio Luiza Mahin 2012 – Câmara Municipal de São Paulo;
♦ Homenageada na exposição Raízes: Mulheres d´África, 2012 pelo Governo do Estado de São Paulo e Secretaria de  Cultura por sua atuação no combate ao racismo junto à sociedade;
♦ Diploma de Gratidão de São Paulo;
♦ Medalha Anchieta;
♦ Prêmio Niños de la Calle, em Madrid,
♦ Prêmio Humanista, da Universidade de Ciências de Moscou, entre outros.

De 26 de Julho a 1º agosto de 2014 participou do importante evento I Seminário Internacional para Preservação do Patrimônio Compartilhado Brasil – Nigéria, que aconteceu em Salvador, Bahia.

Luto

Mãe Sylvia de Oxalá faleceu em agosto de 2014. O Axé Ilê Obá só reabrirá ao público em setembro de 2015.

A sucessora da casa é Mãe Paula de Yansã, filha de Mãe Sylvia.